FRANQUEADO – 5 DICAS PARA O SEU NEGÓCIO DURANTE A PANDEMIA

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

FRANQUEADO – 5 DICAS PARA O SEU NEGÓCIO DURANTE A PANDEMIA

Quando a economia vai mal, os conflitos entre donos de franquias e franqueados tendem a piorar. O medo tende a nos deixar paralisados; aguardar medidas de politicas públicas também é um complicador – fique atento, mas não dependa apenas disso.

É muito importante tomar decisões racionais e negociar não apenas com o franqueador, mas também com parceiros e fornecedores. Segue abaixo cinco dicas para melhor manter a sua franquia durante (e após) esse período de isolamento social:

  1. Estreitar contatos com o franqueador.

Proponha soluções de ganha-ganha. Geralmente, em toda negociação, alguém tem que ceder. Saiba sobre seu fluxo de caixa, quais seus riscos, tenha números e dados em mãos, para saber solicitar qualquer redução: taxas de royalties e/ou publicidade, compra mínima de produtos, etc.

O diálogo quase sempre leva à solução do conflito. Mas casos mais graves – como o descumprimento do contrato ou problemas éticos – podem exigir a interferência de uma terceira parte. A via judicial, além de complexa e demorada, só deve ser acionada em último caso. Nesses tempos de pandemia, uma conversa via remota, através de videoconferências, também são muito úteis.

Quando o diálogo não funciona, um dos caminhos mais procurados é a mediação, forma alternativa de solução de controvérsias. Nela, um mediador escolhido pelas partes tenta estimular os dois lados a encontrarem uma solução, sem decidir ou julgar por elas.

 

  1. Estreitar contatos com as demais franqueadas

É comum que, em momentos de dificuldade financeira ou de vendas fracas, o franqueado responsabilize o dono da franquia, e vice-versa, pela dificuldade enfrentada. “Mas nem sempre a culpa é de uma das partes. O cenário econômico, por si só, pode afetar o negócio, mesmo que todas as obrigações e cláusulas contratuais estejam sendo cumpridas”, observa o vice-presidente da ABF (Associação Brasileira de Franquias).

Assim, é importante entender o cenário das demais franqueadas também, procurar saber se elas se encontram na mesma situação.

Isso por que os envolvidos na franquia precisam ter maturidade para entender que nem todos os problemas do negócio são causados por falta de empenho ou planejamento, mas pelo contexto macroeconômico ou por imprevistos, como uma legislação nova que elevou os custos, por exemplo. Estando ciente da raiz do problema, fica mais fácil encontrar uma solução.

  1. Requerer apoio operacional do franqueador

Esta costuma ser uma das reclamações mais comuns, seja na fase de implantação, durante o treinamento ou no acompanhamento da operação. Também é frequente que o franqueado reclame de tratamento desigual em relação a outros franqueados, como receber uma quantidade menor de produtos mais vendidos ou considerados ‘premium’.

Como resolver: a solução mais simples para o franqueado é a presença constante de um representante junto ao franqueador e que esteja disponível para negociar com a outra parte detalhes como preço de revenda, política de preços e quantidade de produtos sempre que necessário.

  1. Outro franqueado invadiu ‘meu território’

Muitas vezes, o contrato da franquia prevê exclusividade territorial dentro de um perímetro pré-estabelecido para o franqueado. Neste caso, ele pode ter também preferência na abertura de outras franquias, mas nem sempre esse direito é respeitado e abre-se outra loja da marca dentro de um mesmo shopping ou em local muito próximo.

Como resolver: se este direito estiver previsto em contrato, o franqueador precisa respeitá-lo. Se mesmo assim não houver uma solução, o franqueado pode recorrer à mediação ou arbitragem. Caso não isso resolva o problema, a via judicial é a última alternativa – mas não tem solução imediata.

  1. Criar canal digital

Utilizar preferencialmente as vendas a distância sugerindo ao cliente a opção de enviar os produtos para a casa dele. Criar formas de retiradas de produtos para estimular o consumo sem contato físico. Dar confiança para o consumidor que ele poderá ser atendido de outras formas, sem a necessidade de sair de casa. Também pode explorar práticas como venda condicional e consignação, como por exemplo, vender vouchers para serem utilizados posteriormente, pós período de isolamento, etc.

Para que esse canal digital tenha êxito, é importante reforçar a comunicação nas redes sociais de forma a garantir a saúde dos clientes e incentivar a compra de produtos (lives, cards, posts). Utilize o máximo as suas redes sociais, com mais pessoas em casa, a tendência é de que elas acessem mais as redes, sendo um ótimo canal para se comunicar com o consumidor

Essas foram as cinco dicas para lhe ajudar, franqueado, a sair melhor dessa grave crise que pegou a todos de surpresa. E lembre-se: a comunicação transparente e célere é sempre a melhor forma de se comunicar, seja com um cliente, seja com o seu franqueador.

 

Giordano Bruno

Advogado Empresarial, OAB/MG 149.044

Leave a Replay